27 março 2011

2

Até o Último Momento

Minha primeira crônica, a pedido de uma professora, mas gostei tanto de fazer e depois lê-la que vou começar a fazer crônicas também!
Dedico esta ao Japão, e torço para que as coisas melhorem.
Também dedico ao Flávio, do blog Papos e Supapos, que foi minha inspiração para ser em forma de carta.
Curtam ;)
Link da Imagem

Minha  querida, acredito que já soube do horrível terremoto que houve perto da minha casa. Te mando esta notícia para que saiba que continuo vivo. Estava com meus amigos em uma despedida de solteiro.
Minha casa, a casa que seria nossa, foi totalmente varrida pelo tsunami. 
A cama nova que havíamos encomendado para a lua de mel?
Hoje é o leito de algum peixe.
Mas isso nem é o pior. Lembra-se a primeira vez que veio aqui, e juntos plantamos aquela cerejeira? Estava vingando firme e forte! A primeira folha já despontava, mas agora nunca passará disso.
E nossas alianças? Jazem afogadas junto com meu primo, nosso padrinho de casamento.
Eu riria não fosse o nó em minha garganta, lembrando que quase desmanchamos o noivado por causa disso, mas concordamos que seria meu primo se fossem seus enfeites de mesa.
Agora as preocupações estão um pouco além do horário do cabeleireiro não é minha querida?
Eu te falei que, por mim, você podia estar careca que seus olhos me manteriam apaixonado.
Nunca esquecerei das duas jabuticabas me encarando naquela noite de verão.
Nossa primeira conversa;
Primeiro encontro;
Primeiro beijo...
Lembra do dia em que pedi sua mão? Você estava toda nervosa achando que eu queria terminar com você. E quando me ajoelhei e você  começou a chorar, na alegria de cada lágrima as estrelas ficavam desbotadas tamanho o brilho. Naquele dia soube que seria até que a morte nos separasse.
Mas o verdadeiro motivo de lhe enviar essa notícia não é para avisar-lhe apenas que sobrevivi.
Lhe envio isso para que saiba que não comparecerei no nosso casamento, dia 28 de março - o dia que nos conhecemos! -, porque estou seriamente doente.
Sim minha querida. A radiação me infectou, e irei morrer em breve. Não posso enviar-lhe uma lembrança romântica, ou me dar ao luxo de enviar sequer esta carta, por isso mando-a em seu e-mail. Pois tudo aqui está infectado.
Apenas olhe para uma de nossas milhares de fotos, e eu lhe garanto, eu olharei para a sua.
Até o último momento.


Lara Vic.

2 comentários:

  1. Primeiro tenho que agradecer a dedicatória! Você é linda pequenina...Fiquei muito contente mesmo.

    Agora falando da carta, nossa, apesar de um triste fim ela está maravilhosa. Memórias de um amor que infelizmente não pode ser vivido, mas que nunca irá deixar de existir!

    Ficou realmente fantástica!

    Eu sempre soube que você saberia escrever o que te pedissem! É dom! ;)

    Um beijo sua linda! Te cuida.

    ResponderExcluir
  2. Nossa Lara fiikou perfeito, meus parabéns :D
    E continue assin, a pessoa q vc é, con a inspiraçao q tem :p

    ResponderExcluir