22 março 2016

2

Álbum


Será que certos objetos atraem memórias?
Ou nós que precisamos de lugar pra colocá-las?
Me parece que as palavras não fluem sozinhas para o papel
E ainda assim, memórias de travesseiro parecem espontâneas...

As vezes trombo com memórias
Um cheiro, uma música, uma noite, um lugar

Já trombei até com memórias físicas!
(São como fantasmas de carne e osso
Que vagam meio sem sentido
Tão familiares como um sonho distante)

Qual valor se pode dar a uma memória?
Perder-se na nostalgia pode ser bom
- Em doses homeopáticas -
Mas ninguém parece saber a dose certa

Mas por enquanto quero mais deixar memórias
(Vou esconder meu cheiro numa roupa,
Um cabelo no travesseiro,
Um reflexo no espelho,
E alguma mania nas mãos)

Porque no final das contas
Deve ser muito solitário não conviver com suas memórias.

2 comentários:

  1. Lara, tu voltaste! ♥
    Memórias são tudo o que temos ao final das contas. E nem sempre sabemos lidar com isso. :x

    ;*

    P.S.: O blog tá lindo!

    ResponderExcluir
  2. Que bom ler você Lara! Parabéns!

    ResponderExcluir