06 março 2013

4

Demolição



Não passo mais pela porta,
Já não olho pela janela
As paredes não mais me protegem,
E ainda me sinto em casa!

O que sobrou da varanda,
Onde vovó nos aguardava,
Quase farejo seus doces,
Aromas marcados em mim.

E aquela cerca branquinha,
Que tantas vezes pulei,
Agora colorida por vândalos,
Que esconderam minhas lembranças.

O piso de tábuas range,
O que tomo como repreensão,
A casa lembra de mim,
E se sente abandonada.

Não foi minha escolha sair,
E quando voltei era tarde,
Foste abandonada, violada,
Só posso me desculpar.

E me despeço para sempre,
Daquela casa, das lembranças.
Serão cobertas com cimento,
Minhas imagens de criança.

Sem muitas explicações, fiquei um mês (aproximadamente) sem postar, e sinto muito, simplesmente não conseguia escrever. Hoje indo para a escola vi uma casa, que basicamente  só tinha a fachada. Atrás, tudo tinha sido demolido, e me doeu, uma casa que devia ser tão linda e imponente ter que "dar caminho ao progresso". Espero que gostem ^^

4 comentários:

  1. Fiquei imaginando a casa... Gostei, tem um ar de nostalgia até e indignação, talvez..
    Aliás, a imagem é incrível!
    Parabéns (:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns ! Adorei larica hahahah

      Excluir
  2. Bonito poema.

    Senti pena da casa, abandonada e solitária...

    ResponderExcluir
  3. Que bonito, e triste poema.
    Senti falta da casa onde eu morava quando pequena. :/

    -

    Queria avisar que a partir da semana que vem vou estar um pouco ausente da blogsfera, meu cursinho começa e o tempo ficar mais curto. Precio me dedicar ao vestibular. Visitarei aqui sempre que eu puder, tentarei comentar sempre que eu ler e manter o np atualizado pelo menos semanalmente.

    ResponderExcluir