14 julho 2011

2

A Donzela de Letras

Meio que precisei de permissão da minha amiga para postar esse texto, porque ele me deixou bem insegura.
Por um lado é a melhor coisa que eu já escrevi, por outro, não sei nem o que falar, mas ele é tão verdadeiro que me deixa insegura...
Estou pensando em mudar o tema do blog baseado nele. Qualquer sugestão podem deixar nos coments. Eu vou pedir que comentem esse aqui bastante, porque como viram ele é especial *-* 

Link da Imagem
 Afinal, sobre o que escreve uma donzela confusa?
Se escrevo poemas, os outros os ouvem, os elogiam e os julgam.
Ao escrever cartas, posto-me a frente do leitor, sem que ele me veja, mas apenas com que sinta o som de minhas palavras como pinceladas colorindo um quadro.
Qual o sentido de inventar contos, onde pessoas irreais encontrarão seu final feliz ou mórbido, sendo que qualquer coisa que lembre o real decorrer de uma vida é desinteressante ou insatisfatória?
De que me serve desabrochar sentimentos próprios ou alheios quando a palavra escrita, nos dias de hoje, vale tão pouco?
Acho que a simples razão para perder tempo neste prazer de poucos é que se não me expressasse em letras para ninguém, as emoções seriam barradas por palavras a alguém.
Sou donzela confusa com mais pensamentos que ações e mais contos do que vidas.
Sou o que sou. Um nome esquecido em meio a livros empoeirados ou ao papel que tem poucos momentos para respirar antes de ser prensado contra seus irmãos para esconder um doce segredo...
Um nome, uma identidade, sonhos refletidos em traços vivos de poesia...
Que perecerão no tempo e na lembrança, mas que se deleitam com o hoje, enquanto ele passa nas badaladas do relógio, sempre mais perto do inesperado fim...
Sou a donzela que não clama por um príncipe.
Sou aquela sem nome com o nome de todas.
Sou a única donzela que conheço que fala sentimentos através de frias letras, e uma das poucas que consegue lhes devolver o calor que outrora possuíram...
Sou a donzela que muitas vêem no espelho todo dia, mas não tem coragem de deixá-la desabrochar.
Sou a donzela falando em nome da corte, a guerreira em nome de seus soldados, a garota em nome de seus sentimentos.

Lara Vic.

2 comentários:

  1. Permissão? como assim, você é a autora e é voc~e quem decide.
    É, com certeza, sua melhor obra; bastante sentimento e encanto. É isso que você é!
    Aliás, essa amiga sou eu \õ/ que emoção *-*
    rsrs' beijos

    ResponderExcluir