02 janeiro 2011

0

O Duende

Dedico esse poema a Julia Kawamura e a todos os seguidores deste blog. Desejo um feliz 2011, e vamos começa-lo com chave de ouro!

Eu vi um duende.
Era pequeno, mágico e incandescente.
Sorria com ar inteligente
E era pequeno demais pra ser gente.
O conheci assim:
Eu queria dormir
Mas não achava meu pijama!
Busquei no lugar mais provável:
Debaixo de minha grande cama.
Qual não foi minha surpresa
Ao ver uma luz esverdeada
E, sentado no meu sapato,
Aninhado na camiseta
Estava o duendinho
Com sua cara espuleta.
Ele sorriu
Dizia estar a minha espera;
Agarrou no meu dedo
Falou palavras encantadas
E, fechando os olhos,
Me vi entre lindas fadas!
Quando os abri
Estava na minha cama
Já devidamente de pijama
Mas sei que sonho não foi
Pois ao voltar a fecha-los
Atrás de minhas pálpebras veio uma luz
Esverdeada, pequena, engraçada,
E embalou meu sono
O som de uma fina risada.

Lara Vic.

Nenhum comentário:

Postar um comentário