28 novembro 2012

6

Luto à Inocência


A chuva escorre lá fora,
Os raios cortam o céu,
Mas não chore, não chore,
Passou da idade de medo de trovão.

Na vida as luzes são escassas,
Você tem que aprender a enxergar
Vamos, não chore, não chore,
Passou da idade de medo do escuro.

Lá fora as pessoas são más,
E não é fácil diferenciar,
Pare! Não chore, não chore,
Passou da idade do medo de monstros.

A infância passa bem rápido,
E já é hora de crescer,
Mas eu choro, como choro,
Vendo a inocência morrer.

Bom, foi bem difícil achar uma imagem para esse aqui. Acabei encontrando esse desenho que acho que ilustra bem uma criança que de repente dá de cara com o mundo real do jeito que ele é.
Comentários? *-*

6 comentários:

  1. Demais! É realmente muito impactante quando começamos a crescer e ver que as coisas não são como a gente imaginava, as pessoas nem sempre vem com intenções boas e quando nos deparamos com esse mundo real, percebemos também o quão bom era ter a inocência de uma criança. Adorei! *-*

    ResponderExcluir
  2. é um tempo que não volta e eu - me perdoe - choro por dentro. Não vai voltar, a escassez de responsabilidades, o amor dos que se foram para sempre. Acho que tenho a síndrome do Petter Pan: crescer é ruim demais.

    http://railmamedeiros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Adorei Larinha ! Parabéns !!!! Hahahah

    ResponderExcluir
  4. Um encanto. A verdade nas palavras me chamou à atenção. Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Tem publicado muitos poemas ultimamente,não? Sentindo falta dos contos =/
    E,enfim,curti o post. Só achei que a imagem não casava por ter aquele quê de terror...
    ~b l o g~ • • • FanpageTwitterGoogle+

    ResponderExcluir
  6. Adorei o poema!
    Respondendo sua dúvida, o tutorial para por largura máxima nas imagens funcionou perfeitamente aqui comigo flor, deve ser algum código que não foi fechado corretamente.
    Kissus
    cherry-liah.blogspot.com

    ResponderExcluir